domingo, 29 de junho de 2008

Os Teus Insetos Interiores


Notas de um observador:

Existem milhões de insetos almáticos.
Alguns rastejam, outros poucos correm.
A maioria prefere não se mexer.
Grandes e pequenos.
Redondos e triangulares,
de qualquer forma são todos quadrados.
Ovários, oriundos de variadas raízes radicais.
Ramificações da célula rainha.
Desprovidos de asas,
não voam nem nadam.
Possuem vida, mas não sabem.
Duvidam do corpo,
queimam seus filmes e suas floras.
Para eles, tudo é capaz de ser impossível.

Seus sintomas?
Um calor gélido e ansiado na boca do estômago.
Uma sensação de: o que é mesmo que se passa?
Um certo estado de humilhação conformada o que parece bem vindo e quisto.
É mais fácil aturar a tristeza generalizada
Que romper com as correntes de preguiça e mal dizer.
Silenciam-se no holocausto da subserviência
O organismo não se anima mais.
E assim, animais ou menos assim,
Descompromissados com o próprio rumo.
Desprovidos de caráter e coragem,
Desatentos ao próprio tesouro...caem.
Desacordam todos os dias,
Não mensuram suas perdas e imposturas.
Não almejam, não alma, já não mais amor.

Assim são os insetos interiores...


Nesse quarto tão sozinho, o tempo não faz mais sentido.

sexta-feira, 27 de junho de 2008

Anjo Negro


Anjos negros descem do céu
Trazendo novas deste meu amor,
Vêm trajados de solidão.
Empunham numa mão o meu nome
E na outra uma faca embotada
De tantas vezes se cravar em mim.

Pairam sobre a tua casa,
Clamando o teu nome sem parar,
Vêm trajados de dor.
Numa face trazem o meu olhar
E na outra a memória do teu beijo seco
De tantas vezes me ressuscitar.

Morrem na tua calçada
Decorando os teus passos de negro,
Vêm trajados de mim.
Numa mão ofereço-te o meu amor
E na outra guardo esta cruel felicidade
Que chora de tantas vezes me fugir.


[27/06/08]


Espero que você venham....gente. De fato eu espero. Vai ser especial.

"...morrendo comigo na mão..."

quinta-feira, 26 de junho de 2008

"A minha barba, estava desse tamanho"

"Eu não caibo mais nas roupas que eu cabia
Eu não encho mais a casa de alegria
Os anos se passaram enquanto eu dormia
E quem eu queria bem me esquecia

Será que eu falei o que ninguém ouvia?
Será que eu escutei o que ninguém dizia?
Eu não vou me adaptar, me adaptar

Eu não tenho mais a cara que eu tinha
No espelho essa cara já não é minha
É que quando eu me toquei achei tão estranho
A minha barba estava deste tamanho

Será que eu falei o que ninguém dizia?
Será que eu escutei o que ninguém ouvia?
Eu não vou me adaptar, me adaptar"



Ps¹ - Foto a 5 minutos.
Ps² - Conversei com minha segunda mãe hoje. Foi bom. Ver quem tá comigo. Agradecerei sempre por isso, apesar de ela nunca ler isso aqui.
Ps³ - Agradecimento especial a Rara e a Sinhá. Obrigado sempre pela força.

quarta-feira, 25 de junho de 2008

"A mente domina a matéria"


Devaneio da mente Humana.

- A mente domina a matéria

- Caramba, essa foi fácil - disse ela

- Fácil pra você...eu diria.

- Estou tentando...insistiu ele.

- E será mais difícil ainda amanhã - continuou ele - Fiquei com o teu cheiro na minha cabeça o dia todo e vou ficar incrivelmente dessensibilizado. Se ficar longe de você por qualquer período de tempo, terei que começar de novo. Não do Zero, imagino!

-Então não vá embora - Disse ela.

- Isso é bom pra mim - respondeu ele, o rosto relaxado num suave sorriso - COLOQUE OS GRILHÕES...Sou seu prisioneiro. - Mas suas mãos formavam uma algema nas maos dela. E ele sorriu como nunca o fizera antes.

- Você parece mais....otimista que de costume - Ela observou - Não o vi assim antes.

- Não é para ser assim? - Ele retrucou - A glória do verdadeiro amor, essas coisas. É inacreditável, não é, a diferença entre ler sobre uma coisa, vê-la em fotos e experimentá-la?

- Muito diferente. - ela concordou. - Mais poderoso do que imaginei. Concluiu.

- Por exemplo a distância - Ele refletiu - Eu luto todas as noites ao ver você dormir, com o abismo entre o que eu sabia que era o certo, moral, ético, e o que eu queria de fato. Sabia que se se eu me afastar ou for afastado, ou ir embora por alguns anos, como talvez seria o certo, eu diria sim a outra pessoa. - As palavras saiam de sua boca como sangue, que como a dor, brotavam sem explicação, vontade ou sentido. Ele simplesmente se expressou...


"O poeta pena quando cai o pano
E o pano cai
Acordes em oferta, cordel em promoção
A Prosa presa em papel de bala
Música rara em liquidação"


Que o resto seja melhor que o início.

segunda-feira, 23 de junho de 2008


Chorando Estrelas


Como eu gostaria de ser como as estrelas.
Cientes daquilo que são, do seu lugar no espaço.
Pacientes ao ponto de permanecerem brilhando,
Enquanto o dia não acaba.
Certeza de brilhar cada vez mais forte.
Iluminando os passos de quem se apaga.
Se apega.
Como seria se fosse eu uma estrela, que insistentemente
Brilha...
Quando a sua volta se enxerga a escuridão.
Não
Eu não uma estrela
Sou apenas eu
Um fúlgido brilhar na imensidão do que chamamos de vida.
Vida que constrói
Que destrói
Vida de fora pra dentro
De dentro pra fora
De corpo e alma
De vida em punho.

[Maio/2008]


Diálogos de Msn.

Aproveite cada momento.... não fique desanimado. Escuta o conselho desse velho de coração calejado e cheio de buracos.
Não desperdice esses momentos por nada, por nada, por nada nesse mundo.
A ame com toda a tua força, em todos os momentos, em todos os instantes da vida. Olhe pra agora e faça cada momento valer a pena, com sorrisos, sem desapontamentos, não só com ela, mais com você. Dê a ela todo o teu amor, carinho, atenção. A faça sentir especial, única...
Não venha para a realidade, para o mundo real.
Não o faça mais.
Ele é feio, injusto e dói viver nele. Então meu grande amigo, com muitas lágrimas nos olhos te digo que viva intensamente tudo isso. Confie nela, confie na tua capacidade de cativar as pessoas. Confie na tua capacidade de amar...


Welcome again, vontade de escrever novamente. Alguns comentários no blog me levaram a essa conclusão. Comentários fortalecem a alma e o punho (rs)!

Para quem sabe ler, meia palavra basta.


Resposta a tua altura.

Não penses que me esqueci de ti
Agora é cada um por si,
Sou eu, o Sai-me Daqui,
O carrasco que vai dar cabo de ti!

Julgas-te grande,
Bem maior do que eu,
Mas quando olhas para cima
O corpo a tapar o sol é meu!

Tás muito abaixo,
Sou eu que te assombro
Por mais sopa que comas
Nunca passas do meu ombro

Meu Inimigo esperado,
Ainda bem que apareceste
Sem ti eu estava arrumado,
Mesmo sem ter bem começado.


Caro Seabra, tua presença em uma noite "bohemia" será muito apreciada.

domingo, 22 de junho de 2008

A Primeira Semana

"Antes que o tempo, a Clave
De Fá Do Si La Sois
Antes da noite, uma tarde
Pra cada um de nos
Antes do barco, a chuva
Antes da roda, o frio
Antes do vinho, a uva
E a fruta que não caiu

Fez dessa Terra um cenário
Pras peças que nos pregaram
Fez bico de pena e diário
Pra escrevermos a regra e a exceção

Criou o perdão e o pecado
Criou a dor e o prazer
Criamos o certo e o errado
E o orgulho pra nos esconder
Do que prevalece em nós...

Antes que o tempo, a clave
Sustenidos e bemóis
Antes do inteiro, a metade
Uma outra parte de nós
Antes do vôo, o tombo luta pra não chorar
Antes tarde do que nunca, pra nunca mais demorar
Antes do homem o medo
Antes do medo o amor
Antes do amor a dúvida
Pois nem Deus sabe quem criou
E o que prevalece em nós

Exílios calados quimeras que exalam sós

E tudo que eu criar pra mim
Vai me abraçar de novo semana que vem

E tudo que eu criar pra mim
Vai me abraçar de novo
Vai me negar também
semana que vem

Antes que o tempo acabe..."

Agora de fato não tem quem ler daqui....últimos posts sem nenhum comentário....mas escrevo pra posteridade....pra não perder nunca mais....!

sábado, 21 de junho de 2008

Existe ser mais perfeito que um vampiro?



Momentos de outrora


A vida passa num instante agora
Fecho meus olhos, e quando abro
Já não sou o mesmo
Tudo muda constantemente
A brisa torna-se vento
E o vento torna-se brisa
A brisa da manhã
Vem em forma de maresia
Tudo muda constantemente
O amor de hoje
Fora o ódio de outrora
O perdão recebido
Fora a culpa de alguém
O reencontro
Fora a despedida de ontem
A cicatriz fechara
Fora a ferida aberta na carne
A porta fechada
Outrora já esteve entreaberta
Esperando por ela passar
Mas você recuou
E hoje, um vazio restou
A vida muda num instante
Tudo passa como um turbilhão
Meu coração que outrora fora alegria
Hoje se encontra na solidão.

[21/06/08]


Voltando ao sono.

sexta-feira, 20 de junho de 2008


Sozinho


Se amargurava
com o punhal
que ele próprio cravou
em seu peito,

chorava,
bebia,
chorava,

e desejava
não mais sonhar,
não mais amar.

Queria que o seu coração,
espontaneamente, parasse
e que ali ficasse,
calmo, tranqüilo, sereno...

[20/06/08]


Minhas atualizações serão frequentes, eu acho.

Entrem aqui por favor: Puzzle

Update: Sem atualização esse fds. Vou pra longe, por aeh...

Sofrer foi o prazer que Deus me deu...

Como você sempre soube, isso aqui é a minha válvula de escape. Perdoe-me.


Estou tao triste... Nunca pensei que fosse me sentir assim... Nunca pensei que pudesse me sentir tao magoado... Meu coraçao ainda esta doendo... minha mente se recusa a acreditar...já é madrugada e eu ainda estou aqui, acordado.. Sem saber o que fazer.. Nao consigo dormir... Nao consigo pensar claramente... So quero chorar, chorar e chorar.... Nao, eu realmente nao queria sofrer... Ontem isso parecia uma coisa tao boba.... Mas hoje... hoje tudo voltou... Todas as palavras que parecem ter sido escritas pra mim... Mas nao foram...
Nao faz sentido...
Todas as besteiras que eu pensei esses dias, todas as bobagens que me fizeram chorar e me machucar muito, tudo que eu imaginei que pudesse estar acontecendo... Tudo parece ter se confirmado em algumas poucas palavras..
Meu coraçao realmente esta doendo... Eu nao queria estar escrevendo.. Mas eu preciso escrever... Eu preciso parar de sofrer com isso tudo, e normalmente, escrever me ajuda muito... Mas hoje nao esta mudando nada... Acho que nada pode me ajudar..
Sinto que estou caindo... caindo.. caindo.. e nao consigo imaginar onde acaba a queda...nem mesmo sei se ela tem um fim....

Por que?
Por que?
Por que?

Eu queria realmete acreditar que foi um pesadelo... Nao faz sentido nenhum pra mim...
Desculpe por tudo.. Sei que nao deveria estar agindo assim... Sei que disse que as coisas nao iam mudar... Mas agora sinto que vao... Nao queria isso...Odeio pensar que as coisas poderiam mudar entre a gente... Eu te amo muito... Muito mais do que você imagina... Mas nao sei se posso suportar essa dor sozinho...Mas acho que ninguem pode me ajudar agora... Sinto muito...
" Ich dich liebe ..."

quinta-feira, 19 de junho de 2008

Esperança.

"Lá bem no alto do décimo segundo andar do Ano
Vive uma louca chamada Esperança
E ela pensa que quando todas as sirenas
Todas as buzinas
Todos os reco-recos tocarem
Atira-se
E
— ó delicioso vôo!
Ela será encontrada miraculosamente incólume na calçada,
Outra vez criança...
E em torno dela indagará o povo:
— Como é teu nome, meninazinha de olhos verdes?
E ela lhes dirá
(É preciso dizer-lhes tudo de novo!)
Ela lhes dirá bem devagarinho, para que não esqueçam:
— O meu nome é ES-PE-RAN-ÇA..."


Mário Quintana
Texto extraído do livro "Nova Antologia Poética"


Melhor um mestre do que os meus textos.

quarta-feira, 18 de junho de 2008


Queria que a noite nao acabasse... nao quero começar mais um dia...
Nao estou triste ou chateado...
Tambem nao estou bem, nem estou feliz..
Estou simplesmente vivo, sem saber nem como me sentir...
Acho que posso dizer que estou normal, mesmo sabendo que essa nao é uma definiçao muito boa pra mim..
Estou com muita vontade de escrever... Nao textos, nem poesias.. nada triste e melancolico.. Nada de cartas.. Simplesmente escrever... Pra mim mesmo....
A noite parece diferente hoje... mais pertubadora do que o normal...
Mas é apenas mais uma noite na qual eu me perco em pensamentos... Embora hoje nao tenha nem no que pensar... Estou simplesmente divagando sobre o passado...
O presente é tao doloroso...
As vezes eu queria que a vida fosse melhor, as vezes eu queria que ela nao existisse mais...
Tao complicado viver quando nao se sabe ser feliz...
Tao complicado querer morrer sem saber como prosseguir...
Tao facil responder a essa pergunta...
Tao dificil conclui-la...
Queria poder fugir agora, ir pra um lugar tranquilo... onde eu pudesse escutar apenas o silencio e o cair dessa noite...e o seu amor de volta pra mim.

Queria que apenas por alguns segundos
Eu pudesse fechar meus olhos
E adormecer junto de ti e sonhar contigo os teus sonhos...
Queria que apenas por alguns segundos

Eu pudesse olhar dentro de seus olhos
Ever ali minha alma refletida
Como um espelho...
Que ao ser quebrado
destrói também o meu reflexo...


Não, não pode ser assim.

terça-feira, 17 de junho de 2008



O Alerquim roubou o amor de Pierrot,
por isso ele chora, num canto do salão.
Aquela máscara negra, que discórdia causou,
na vida de um pobre Pierrot.

O Pierrot a chorar, espera a sina de um Alerquim,
o Pierrot a chorar, espera o amor de Colombina.

O seu desejo era o coração de Alerquim ele ganhar.
Para que, a colombina, pudesse, um dia, o amar.


Apesar de saber que escrevo ao léu, pouco importa.

domingo, 15 de junho de 2008

"Woman no cry..."




A vida se vai em um instante...
quando pensamos que podemos deixá-la de lado,
vem o tempo mostrando que não há tempo,
vem a noite e passa o dia, semanas se sucedem,
e quando nos damos conta, mais um ano acabou.

E agora?
Que fazer do parque que não conhecemos?
Do filho que não vimos crescer?
do amor que deixamos morrer?
da saúde que destruímos de qualquer maneira?
Do amor que mal vimos desabrochar e morreu?

O que fazer do tempo que não temos?
Sim, porque sempre não temos tempo para viver,
sempre é um corre-corre ou uma apatia total,
fazemos ou não fazemos o que queremos,
geralmente fazemos mal feito, não aproveitamos...

Aproveite esse tempo e ame com intensidade,
ainda que o medo mande você maneirar.
Estude apenas por prazer, ainda que a matéria seja chata,
ande por contentamento, caminhe na chuva e sinta o sol,
seja intenso, vibrante, forte, cheio de certezas,
ainda que não saiba por onde ir...

E, porque a vida é um instante,
seja eterno.
O prazer é viver esse momento,
que deixarão de ser parte de um dia,
para ser inesquecível...

terça-feira, 10 de junho de 2008

Ei...
Que receio é esse?
Fique tranqüila,
aqui está segura,
aqui, teus ódios não lhe descobrirão.

Está passando?

Aqui está segura,
segure a minha mão,
e durma,
nada ira lhe incomodar enquanto dorme.

Melhorou?

E durma,
descanse.
Teus medos estão do lado de fora,
não lhe perturbarão.

Acredita?

Teus medos estão do lado de fora,
não deixarei eles entrarem,
que receio é esse?
Esqueceu que estou ao seu lado?

Feito pra ela.

Querendo acreditar que meus devaneios fazem bem a alguém.

segunda-feira, 9 de junho de 2008

video

Da Janela - Nenhum de Nós

"Da janela eu vejo a rua
Onde ela caminha todo o dia
Ela passa
E sempre acha graça quando me vê

Mas ela passa tão depressa
Que eu não tenho tempo
E nem coragem
De abrir a boca e fazer a pergunta que eu ensaiei
Ensaiei

Você ainda me ama?
Me ama
Você ainda me ama?
Me ama
Eu sei que no fundo, bem no fundinho
Você ainda me ama

Da janela eu vejo a rua
Onde ela caminha
No fim do dia
Na volta pra casa
Já está tão escuro que ela ja não mais me ve

Mas eu tenho que chamar
Eu tenho que gritar
Eu tenho que fazer ela parar
Quem sabe até fazer ela voltar
Eu tenho mesmo é que perguntar
Que perguntar"


Extremamente feliz.

sexta-feira, 6 de junho de 2008


Lembro quando você me olhava,
com aquele olhar apaixonado,
do teu lábio vinha um sorriso tímido,
o qual, eu respondia com um beijo.

Seu amor era somente meu,
e o meu, somente teu.

Como era bom a época em que acreditávamos em algo.
Como era bom a época em que acreditávamos no amor.

Ela volta?


Devaneiado em um momento de falta de fé.

quarta-feira, 4 de junho de 2008

Cariño...


E agora eu continuo, meses depois... novas idéias, novas falas, mas a mesma menina...
Tão nova quanto tudo o que eu vejo acontecer por aqui. Tão cheia de sonhos quanto meus sonhos me ensinaram que deveria ser.
Eu tenho medo de uma só coisa. Eu tenho remorso de duas. Eu quero recuperar minha menina que está se perdendo por esses encontros casuais. Eu quero manter você dentro de mim por mais que insista em ir embora. Triste até a última lágrima que deve ser chorada. Feliz até o fim do sorriso que quer ser sorrido. Infeliz parte do tempo. Com vontade de gritar até me livrar de toda dúvida que não sei porque está aqui, porque insiste em me acompanhar no caminho que eu quis viver. Que eu ainda quero. O meu caminho.

Então seca minhas lágrimas, me coloca nos seus braços, se devolva à mim!
Tira de dentro a saudade que agride, a tristeza que me oferece o cigarro que não cabe mais.
Volta a dizer as suas implicâncias.
Volta a falar.
Ressucita.
Não me deixe aqui tentando te encontrar.
Me leva com você, me busca aqui.
O sentimento é lindo, puro e verdadeiro.
Esse sou eu.
Essa é você.
No pensamento sempre.


"Como arroz e feijão, é feita de grão em grão nossa felicidade."

terça-feira, 3 de junho de 2008

Viver completamente é o que há!














Falar sobre sentimentos é complicado, porque na maioria das vezes ninguém consegue entendê-los a não ser quem os sente. Por mais que você narre um momento, destaque os detalhes e faça isso com destreza, não conseguirá expressar exatamente o que você sentiu naquele instante. É essa a magia, é na simplicidade da compreensão singular que encontramos o encanto.

Sabemos que a vida - e falo de sua parte boa - se faz de pequenas coisas inexplicáveis. Pequenas, sim. Aquelas coisas que quase sempre são imperceptíveis ao olhar alheio mas que passam a te habitar e não importa quanto tempo fique para trás, você ainda poderá sentir um toque, um cheiro, um gosto. Você não consegue explicar, mas sente. E se sente, explicar para quê?!

Então basta um segundo antes de um beijo ou de uma carícia, para que o momento se eternize. Você irá beijar outras vezes, acariciar e ser acariciado, mas nada sequer chegará perto de se tornar tão marcante quanto aquele segundo antes do ato. Aquele "mero" segundo que precedeu horas se torna um marco. E você se lembrará sempre dele, por dias, por anos, por uma vida. Talvez por mais de uma.

A única coisa capaz de levar à compreensão é a intimidade. Você não precisa nada dizer, gesticular ou insinuar, você se faz entender. Acontece através de um encontro entre olhares e… Apenas acontece. É natural, chega a parecer místico, mas é algo simplesmente natural. É do íntimo que nasce a entrega, a comunicação em silêncio, a única que pode ser extensamente compreendida - e se um sentimento só pode ser entendido por quem o sente, é na intimidade que o outro encontra espaço para fazê-lo.

Sem que você perceba, tudo passa a fazer sentido. Não é preciso filosofar, indagar, analisar. De uma hora para outra você descobre que perdeu tempo demais tentando decifrar os mistérios, procurando um porquê que nunca teve necessidade de ser. De repente tudo fica claro (e colorido), então você não se importa mais com os motivos, quer apenas sentir - sim, tudo passa a fazer sentido.

As pessoas se manifestarão, mas nada do que dizem parece te atingir dali em diante. Onde quer que você esteja, estará no caminho certo, independente do que os outros irão falar, opinar, teorizar. Viver se tornou mais importante do que ouvir.

O mundo passa a ser seu e vem aquela vontade voraz de abraçá-lo, tomá-lo em seus braços sem se importar com o que passou, porque agora você compreende. E se alguém te diz que é impossível abraçar o mundo, você responde: - Impossível é te fazer entender, porque você não sente.


Primeira parceria : Planeta Insano

Enjoy your life ever.

segunda-feira, 2 de junho de 2008

Senhor do Tempo.

Se eu fosse Senhor do Tempo, as horas não passariam tão devagar como estão passando agora, nem passariam tão depressa como aconteceu antes. Elas teriam sua certa duração, de acordo com a minha vontade. Poderiam até mesmo parar no instante em que eu desejasse, sob a influência de um estalar de dedos, dos meus dedos, esses mesmos que escrevem agora para eternizar aquilo que, de outra forma, ficaria apenas na lembrança. Se eu fosse Senhor do Tempo, o passado não seria fixo, não seria imutável e talvez sequer fosse passado. Eu poderia conjugar os verbos no tempo que eu bem quisesse (afinal, eu seria seu Senhor) e não precisaria esperar por um futuro que quero viver agora. Não, eu não precisaria nem mesmo esperar. Se eu fosse Senhor do Tempo, aquele momento se repetiria por muitas, muitas e muitas outras vezes. Eu o prolongaria, brincaria com ele como uma criança, sem pressa, sem compromisso.

Depois de reviver as sensações, cada uma delas, por quantas vezes eu sentisse vontade, eu colocaria o tempo em suas mãos. Seus dedos estariam sobre o relógio e você poderia brincar de ser Deus. Te faria a Senhora do Tempo. Então, o que você faria? Teria coragem o suficiente para apressar as coisas, pular etapas, dar um salto maior do que é capaz agora? Ou moveria os ponteiros ao contrário, para assim poder fazer tudo de forma diferente? Enfim… Se eu fosse Senhor do Tempo, não estaria fazendo tais perguntas. Eu teria todas as respostas sem precisar perguntar.

Mas o tempo é real e é cruel, ele finge não passar nunca ou passa rápido demais e esses movimentos nunca estão de acordo com a nossa vontade. Nem com a minha, nem com a sua. Então, enquanto fico aqui pensando no Tempo como se seu Senhor eu fosse, ele insiste em provar que me bastaria ser Senhor de Mim...


Obra prima.

Em grau de perfeição, me lembra a Última Missiva, algo sonhado em 2005 que se perdeu com o tempo...