segunda-feira, 27 de outubro de 2008



Escrever não o que está sendo, mas o que há de vir... Como quem descreve o sonho antes de dormir. Feito quem planeja instantes sem planos de os cumprir.

Pouco tão me falta. Eu padeço é de raros excessos.

O corpo é corda — levemente tensa — de instrumento. Alguém que toca. O corpo que dança não é o que dança, é o que é tocado, e junto toca. Existe o silêncio do antes, o impacto do momento e a vibração do depois. Silêncio novamente.

Diz o sal:
— Vá, dor!
E a dor se vai em salgada obediência.

O bem é tão grande que envolve o mal em suas pequenezas e o faz girar: rodopios de dança.

Este mundo está levitando. A música está tirando nossos pés do chão. A alegria nos assombra feito um fantasminha. Brincadeira de criança: vida, tempo, som.

De vez em quando, levamos a sério. Crises, desastres, assassinatos, violações. A vida é tão amedrontadora quanto um teatro de assombrações.

As histórias precisam do tempo que se sucede. E o tempo não se sucede mais em mim. Olho tudo e vejo tudo. O tempo se há convertido em espaço. Eu vejo tudo da minha distância. E — feito potente telescópio — vejo tudo em cada detalhe de tudo ser.

Mas desagradam-me as frases curtas, a prosa fria. Quero a alegria de ser quem não penso que sou. Estar na praia embaixo do guarda-sol ao invés de caminhar. Mover-me lentamente em engarrafamentos. Sambar um show inteiro. Passar a noite entre fumantes e bêbados.

Viajar devolve-me o coração. Viajar é chegar à beira de si: beira com beira de outro si. Viajar devolve-me as gentes. O corpo — corda — vibra com o olhar da menina, com o vestido da menina, com o canto da menina, com o toque. Meu corpo frágil feito uma bola de sabão — na mão espalmada.

Tudo por um triz. Avião que acelera antes vôo. Mão que vai abrir torneira. Sonho prestes já em carne. Texto quase sem palavra. Transição de relógio em meia-noite: muda tudo, muda nada.

Senhor do Bonfim, me dê um bom meio — porque o excelente começo já foi há algum tempo.


Que o futuro seja como o presente e não repita o passado...

(L)

sexta-feira, 24 de outubro de 2008

Tear

Medo

O medo, quando dentro de um quadro em que é possível se lidar com ele, é até benéfico, na medida em que faz parte de nosso instinto de sobrevivência. Para que os nossos medos não fujam de controle, é preciso que eles sejam equilibrados pela razão e pelo bom senso. É preciso usar esses amigos, chamados razão e bom senso, não para fugir de nossos medos, mas sim para com eles acender a luz de nossas emoções e tomar contato com aquilo que tememos. Nesse momento, lembro-me de mamãe, que me ensinou coisas que a escola não ensinou, ou seja, as escolas deram nome e forma àquilo que ela me ensina desde pequeno. E mamãe dizia, sempre, que muitas vezes o medo é maior do que aquilo que temos que fazer. E que quando encaramos e fazemos, o medo parece ridículo! E não é que ela tinha razão? Em outras palavras, ela estava dizendo o que os compêndios de psicologia dizem com outras palavras, ou seja: acenda a luz e encare seu medo, em vez de fugir dele... de repente, aquilo que mais tememos pode não ser tão temível assim! O importante, para não deixar que os medos nos carreguem, é tirar o peso dos ombros, relaxando, confiando na vida e tendo certeza de que coisas boas virão, se esperarmos por elas. Não temos que assumir responsabilidades por ninguém, basta-nos as nossas próprias limitações... cada um pode e deve viver sua vida. Inclusive as pessoas que mais amamos. Saber isto e viver isto já alivia, e muito, o medo em relação aos seres amados. Talvez seja o momento de perguntar: tenho medo do que? De perder prestígio, amores, amigos? Bem, quem gosta realmente de nós não está preocupado com nosso prestígio, ou com o que temos, mas sim com o que somos, e com o que significamos na vida deles. O mundo não vai desabar se soltarmos os problemas, se descansarmos deles, pelo menos daqueles que não são necessariamente nossos.

Vale, também, um momento de reflexão e questionamento: será que estamos fazendo o que realmente gostamos, estamos vivendo a vida que escolhemos, ou nossa vida é apenas aquilo que querem de nós, que escolheram para nós? Se a resposta for a alternativa "b", o medo com certeza está presente. Quando se vive pelos outros, no modelo do que querem de nós, é claro que o medo é maior, até o momento em que uma doença vem e nos faz parar com tudo. Aí, as pessoas que esperam que façamos tudo por elas vão aprender a se virar sozinhas, com certeza. Tomara que não precisemos disso para reagir e perder o medo de fazer o que queremos e ser como gostaríamos!

E para finalizar, gostaria de dizer algo sobre a coragem, que não é apenas aquilo que se faz "por fora", os atos de heroísmo que implicam salvamento de outras pessoas, atos de bravura, que saem nos jornais e são elogiados. A coragem verdadeira começa dentro de nós, no momento em que acendemos a luz da razão sobre nossos medos, e eles deixam de ser tão ameaçadores. A coragem autêntica nos impele à mudança, a uma nova forma de ser, talvez mais solta, com certeza mais feliz...Pense nisso!


Amando você cada dia mais.

quarta-feira, 22 de outubro de 2008

Janela do céu - Ibitipoca


Com ela as minhas poesias são mais lindas, os versos possuem mais rimas e a vontade incansável de escrever (e demonstrar o meu amor) surge a cada teclar, a cada manuscrito e a cada e-mail.


Janela

Aqui nesta janela solitária,
Vejo sua imagem como um horizonte,
Algo perto...algo longe.
A sua voz vem de encontro aos meus olhos
Como uma briza de outrora sentida.
Mistura de sensações, gestos, gostos e paixões!

O encontro desejado, o desencontro consentido.
A vontade da presença, a necessidade da saudade.
Detalhes...
Que nos preenchem a cada instante
O carinho sentido, se torna a benção da vontade.
Que nunca se dissipa!

Há agora a certeza desse carinho.
Certeza do contato.
Certeza da entrega.

E hoje resta, ao infame poeta,
Escrever diante da janela,
Que insiste em dizer: Ela não está com você!


[13/09/08]


Inesquecível ver você chorar diante da leitura desse texto.

quinta-feira, 11 de setembro de 2008

"...a ponte é o que separa e o que une"


O teu silêncio é um grito
Em meus ouvidos nesta noite
Seus beijos são vivos como as estrelas
Com a mesma magia te vejo no luar de outrora
Queria eu me levantar e teus olhos fitar
Queria eu nesta manhã te dar

O sorriso do meu olhar
Queria você ao meu lado
E a tua mão segurar
Te provar o quão verdadeiro
É esse sentimento que invade

Que me toma por inteiro
Ocupa os meus espaços
Não tem princípio, nem meio
Muito menos um final
Meu ser clama num delírio

Um desejo que me consome
Preciso do mesmo ar que respiras
Anseio pelo amor que me inspiras
O calor do seu corpo no meu
Para saciar-me por inteiro
Como alimento que busco
Nos instantes de meu dia

Quero a magia do sonho
Quero deitar-te em meu ombro
Mostrar que tudo mudou
Que a vida está diferente
Que o amor está com a gente
Que a dor aqui, não tem vez
Que estamos juntos agora
Cúmplices nesta jornada

Sentimos nesse momento
O poder de um grande amor
A força que ele nos dá
A coragem de arriscar
Ele nos tira da solidão
Nos faz conhecer a paixão
O céu cabe dentro do peito
E o amor vira constelação

[11/09/08]
Apesar de meio criançinha, esse é o primeiro pra ela.
Linhas felizes na minha vida agora.

domingo, 17 de agosto de 2008

Porque o céu se põe a chorar?


Engraçado.
O Céu parece chorar.
E minhas lágrimas se misturam com as dele.

Quando o sol voltar a sorrir.
Já vai ser hora de ir embora

[17/08/08]

Sozinho


Atualizado aqui e no puzzle_puk

quinta-feira, 14 de agosto de 2008

O Caminho pelas Sombras

Havia muita revelação das coisas dentro de mim e eu via tudo isso como se sentisse diante de um escândalo, super impressionado com as luzes de cada assunto terminei enfim entendendo o devido valor disso tudo que eu guardava.

As luzes então começaram a escapar, como vaga-lumes de um vidro, eu fiquei vazio e pronto para recepcionar outras coisas, eu fiquei humilde em relação ao meu ontem.

Talvez as luzes de um outro tempo realmente conseguiram me sufocar, antes eu tinha um pesadelo revelado, e meus olhos se ofuscavam com a grandeza falsa, eu vi mais do que realmente tocava o tanto assustador que é o sol dentro de cada coisa.

Mas até aí tudo normal, preenchido de um pensamento muito gentil ou politicamente correto, desenvolvi a habilidade emocional de abraçar todas as possibilidades e valores que eu pudesse, versus a isso tive uma postura arredia e intocável, só para que dentro de mim sobrasse tempo para degustar cada sol que se aproximava e dormia em mim.

Muitos sóis couberam nesse vidro, assisto a todos eles com o peso esperado de alguém que tem estrelas na barriga, e isso me cansou, a ponto de ficar sem energias ou visão.

Cego, cansado e pronto para desistir dos velhos ontens eu deixei escapar os valores de tudo, e se esvaziou assim os vaga-lumes de cada coisa, piscaram antes de sumir na escuridão ao redor, e um sol gentil começou a nascer distante.

Quando foi hora alta para ele estar bem acima de mim, as coisas não tinham em seus corações os brilhos de antes, e tudo começou a fazer sombra, e eu segui pelo caminho da humildade, sem ter dentro de mim os valores que antes possuía.

Os entendimentos anteriores agoram brilham em alguma constelação num passado pouco importante, o meu sol unitário está ao meio-dia dos fatos, gerando um caminho reservado para eu não machucar minhas peles.

Pode ser que eu não esteja mais impressionado com as coisas, e isso me deixe sem falar delas em cada palavra sobre mim, afinal não há mais brilhos carregados, e o peso da experiência é leve como se eu estivesse vazio de verdade, mas a verdade é que não estou e nem nunca estarei, porém nada recicla minha vivência, antes abre novas clareiras para matas que deveriam resistir eternas naquele lugar, guardando seguros os vaga-lumes desconhecidos, e seus caçadores ao redor, cheio de peitos vazios, como são meus olhos agora.

Eu estou fugindo para a mata, lá há sombra suficiente e já me chega um sol ao meio-dia, vou tomar conta dos vaga-lumes ao meu redor ao invés de dentro de mim, há um princípio de humildade nascendo nos meus itinerários, as palavras foram abertas e sóis escaparam para ficar em ontens a cada passo mais distantes.


Não tenho mais valor, não tenho mais brilho, não tenho mais nada a carregar dentro de mim se não a vontade de estar sempre leve, e com os ontens brilhando bem longe daqui.


Only this....

sábado, 9 de agosto de 2008

A Quimera de cada dia


Tantas faces quanto seres diversos, é o corpo que faz a explicação do meu dia, o Sol ilumina o trajeto qual pecorre, revela as figuras nascidas à noite, quando ele dorme do outro lado do horizonte, tudo aqui dentro de mim se acorda em vontades de mil rostos e mil fomes, durante a noite novos monstros vão surgindo no meu caminho íntimo, uma rota por onde passa o coração do meu calor - a inocência - e eu sei que ela bate forte, e cospe fogo atrapalhando todos os reinos que ergui no dia anterior.

Minha batalha tem sido esconder as confusões em todas as mil faces, não quero nas minhas costas a luz fervente do sol ou seu peso de estrela rainha, chega de olhar mil vezes para todas as direções, posso até aceitar a noite, e as quimeras escondidas na promessa de nascerem, mas a luz em tantos leitos de fracasso me chama à loucura.

Eu quero dormir do outro lado das montanhas, fugir num Pégassus amado, quero apenas um horizonte todos os dias.

"Porque quando a gente fica de frente pro mar, a gente se sente melhor"


Saudade dos meus raros.

Quando os vejo, meus amados?

quinta-feira, 7 de agosto de 2008


É preciso ter coragem
para ser feliz,
e eu, por toda minha vida, fui um medroso.

Tudo que veio,
já foi.
Passou correndo por aqui.

Que vontade de ser feliz.
Que coragem me faltou.

Traga mais uma garçom.
Porque essa, (assim como eu), esta próxima do fim.

[07-08-2008]


Keep Walking...

domingo, 3 de agosto de 2008

Dragões Interiores


Qual maior inimigo que a força inteiror?

Um fogo natural, uma pressão íntima torcendo os significados, os tempos, os entendimentos emocionais.

Qual maior inimigo que a ausência desse combustível?

Um buraco triste e ventilado, uma brisa fria em lugares escuros, ouve-se o barulho das árvores roçando-se, mas onde estão as pessoas? Ou os valores? Quero sentir tudo ao meu redor, mas falta-me a chama a iluminar as cores.

Esses dragões que revoados, esses dragões guardados em cavernas, esses dragões indomesticáveis, onde estão que chegam e vão com asas só deles, com céus só deles, com luas apenas deles, onde e como guardar em mim a sujeição desses bichos que quando longe faz tudo ser noite, e quando perto tudo se torna uma batalha em alturas lunares, como e onde Dragão?


Baseado em: Os Insetos Interiores, de Fernando Anitelli.

Sim, eu conheci a Trupe!

e isso basta!

sexta-feira, 25 de julho de 2008

Afastamento próximo


Se do nada viemos.
Nada somos.

Para o nada iremos,
e por la ficaremos.

Juntos,
pelo resto que ainda há por vir.

[25/07/2008]


Para todos que se sentem juntos. Vamos sempre juntar tudo numa coisa só.

Partindo em missão, de felicidade com certeza. Como disseram em outro lugar Raro, deixarei o Blog em mãos tão sensíveis quanto essas que vos escreve. Espero que curtam mais um coração leve, puro e inquieto.

Voltarei o mais breve possivel, após de estar em contato com Deus, com o meu Deus. Contato com o meu interior. Com os meus insetos interiores. Uma certeza apenas, voltarei renovado para o fim próximo.

Amo vocês. Mesmo.

quinta-feira, 24 de julho de 2008

"As minhas insanidades pulverizam os meus momentos tristes"


O sol voa,
e os pássaros iluminam as pessoas.
As árvores voam,
e os pássaros oferecem sombra ao casal apaixonado.
A casinha de boneca voa,
e os pássaros alegram mais uma tarde da criança.
Os carros voam,
e os pássaros levam as pessoas ocupadas.
O navio voa,
e os pássaros navegam pelo rio.
As praças voam,
e os pássaros enfeitam a cidade.
O radio voa,
e os pássaros tocam uma maravilhosa música.
Os caminhos voam,
e os pássaros guiam os viajantes.
A estrada voa,
e os pássaros unem dois lugares distintos.
As estrelas voam,
e os pássaros brilham no céu durante a noite.

Meu caderno voou,
e os pássaros me ofereceram um novo poema.


Sim, ontem eu voei.

terça-feira, 22 de julho de 2008

Little Crazy


Ninguém sobrevive sem um pouco de loucura, e também escutei muitas músicas quando ouvi sua voz, não tenho como esconder, e principalmente não tenho o porquê.

Na vida há algumas loucuras pequenas que valem a pena, e se houver punição, eu terei dito a mim sobre o crime que teria sido não ter cometido, e não ter estado contigo de alguma forma me deixaria sozinho, muito mais do que o agora, mas num monte de tempos dentro do significado da palavra prazer, plenitude, conexão e amor.

Se é para ter alguma coisa de doido, gosto de ter alguns parafusos a menos por ter um coração a mais.


segunda-feira, 21 de julho de 2008

No caminho das chegadas


As monções encontraram um lugar vasto por onde deixar suas águas infinitas, e eu estava lá, mergulhado nessa dimensão tão esperada, as chuvas chegaram dos lados apaixonados, dos pontos cardeais inventados pelas gaivotas, eu estava pronto para receber o norte, o sul, o leste e o oeste, pronto para em cada gota, em cada cada canto, ganhar as tempestades em revoadas, de todos os lados vieram as mãos e elas me levaram contigo, sem mais pesar sobre si mesmas as águas voltaram.
____________________________________________________________________

"Todo o chão se abre
No escuro, se acostuma
Às vezes a coragem é como quando a nova lua...

Pára e bate o coração
Em pura disritmia
O medo amedronta o medo
Vela, madrugada, dia,
Assim como a saudade
Ou uma frase perdida

Durma, Medo Meu
Durma, Medo Meu"



Tem horas que a gente [ de fato ] se pergunta, porque que não se junta tudo numa coisa só?

domingo, 20 de julho de 2008

Uma raridade














Tô aqui para falar do Thiago, para mim Capataz...eu,Quezia rs

Como posso falar algo de alguem como ele?Como traduzi-lo em linhas?Talvez eu n faça o bem,mas tentarei.
Participei esse fds de um dos momentos mais importantes para ele e p mim tb,fiquei feliz por estar perto e pelo carinhu.Observei e fiquei embriagada não só de felicidade, mas de adimiração de poder ver que você é bem amis belo do que eu poderia imaginar.Meu Deus fiquei me perguntando como pode?Mas depois parei e só agradeci pelo fato de te-lo na minha vida e de vc me permitir estar na sua.O olhar q mostra o q está dentro sem medo,ele eh ele mesmo sem medo de ser feliz....ele é feliz assim.
Com esse jeito ele conquista a todos e quem n gosta dele é porque n se permitiu o bastante.A mulher q o tiver será feliz demais, porque ele é aquele tipo de cara q qlq mulher quer ter ao lado.
Torço a todo tempo pela sua felicidade, não por ser sua amiga, mas por vc merecer, pela pessoa q vc é.Tão forte e tão fragil, tão alegre e tão melancolico,tão certo e tão errado...esse é o q faz vc ser belo, essse diferencial.
Você faz parte da parte boa da minha vida e enquanto escrevo vejo o quanto é dificil falar de tu em linhas, vc eh algo q se sente, é preciso conhecer p saber.Você me faz feliz com um olhar...não precisa de muito.
Me perdoe Capataz por essas linhas tão vazias diante do q vc é,mas realmente n consigo mais...outro dia volto aqui e tento mais uma vez.

Enfimmm...minha adimiração, MEU AMOR POR TI,meu carinho,meu ombro...Tudo de mim deixo aqui!

"Só enquanto eu respirar vou me lembrar de vc"...não é so uma letra, é fato!

quinta-feira, 17 de julho de 2008

Felicidade?



"...tristeza não tem fim....felicidade sim..."


Triste música de Tom...mas me pergunto o porque consideramos triste essa grande verdade.
Você já parou pra pensar que a felicidade plena não existe? É algo ilusório criado somente para não perdermos a esperança? Quando uma mãe promete ao filho um futuro bom, é a utopia criada que se perpetua de geração pra geração. É mais comodo vivermos com a esperança de uma amanhã do que com a ilusão de hoje. Creio que não existe a felicidade plena e pretendo expor meus devaneios:

A Felicidade para ser plena, deve ser composta de 3 pilastras/estruturas fundamentais:

1 - Familiar (pai, mãe, irmão, etc.)
2- Profissionalismo (Trabalhos, estudos, projetos)
3- Afetivo (Vida social)

Esses são os fatores para podermos considerar-nos felizes completamente. Mas já perceberam que nunca teremos os 3 fatores juntos? Se temos o primeiro e o terceiro, nao temos o segundo. Se temos o segundo e o primeiro não temos o terceiro...e assim vivemos. Partindo desse principio, creio que a felicidade é utópica, é impossivel...O que vivemos são momentos felizes. Sabe aquela fábula do coelhinho que corre atras da cenoura que está amarrada no seu próprio corpo?Então...somos assim. A felicidade está a nossa frente, mas nunca a consumiremos, podemos ter contato com ela, em algumas vezes. Mas nunca a possuiremos.

E a vida é assim, nós vamos vivendo, achando que somos perfeitos, inteligentes, felizes. Achamos que a nosa moral ocidental cristã é a mais perfeita. Negamos culturas milenares para propagar uma teoria por vezes falída.

Conheça...pratique...estude...PERMITA-SE!

Ao som de:

Alannis Morrisette - Head Over Feet

"I had no choice but to hear you
You stated your case time and again
I thought about it

You treat me like I'm a princess
I'm not used to liking that
You ask how my day was

You've already won me over in spite of me
Don't be alarmed if I fall head over feet
Don't be surprised if I love you for all that you are
I couldn't help it
It's all your faults

Your love is thick and it swallowed me whole
You're so much braver than I gave you credit for
That's not lip service

You are the bearer of unconditional things
You held your breath and the door for me
Thanks for your patience

You're the best listener that I've ever met
You're my best friend
Best friend with benefits
What took me so long

I've never felt this healthy before
I've never wanted something rational
I am aware now
I am aware now"
Um beijo para meus raros, que amanhã cá estarão!

quarta-feira, 16 de julho de 2008

Amores não vividos,
desejos esquecidos.
Paixões esquecidas,
pessoas não vividas.


Thiago mussel - 16/07/2008, às 00:40h


Feliz com algumas coisas.


Update, às 01:08h

Amado - Vanessa da Mata

"Como pode ser gostar de alguém
E esse tal alguém não ser seu
Fico desejando nós gastando o mar
Pôr do sol, postal, mais ninguém

Peço tanto a Deus
Para esquecer
Mas só de pedir me lembro
Minha linda flor
Meu jasmim será
Meus melhores beijos serão seus

Sinto que você é ligado a mim
Sempre que estou indo, volto atrás
Estou entregue a ponto de estar sempre só
Esperando um sim ou nunca mais

É tanta graça lá fora passa
O tempo sem você
Mas pode sim
Ser sim amado e tudo acontecer

Sinto absoluto o dom de existir, não há solidão, nem pena
Nessa doação, milagres do amor
Sinto uma extensão divina

É tanta graça lá fora passa
O tempo sem você
Mas pode sim
Ser sim amado e tudo acontecer
Quero dançar com você
Dançar com você
Quero dançar com você
Dançar com você..."


domingo, 13 de julho de 2008

Igual a ti


Eu e o compositor da música abaixo.

Photo by: Bruno Cortezão

Igual a Você
Nenhum de Nós
Composição: Thedy Corrêa

"Eu sei que nós dois éramos bons amigos
Você conhecia meus medos escondidos
Eu guardava segredos proibidos
Estávamos ligados, comprometidos

Algumas vezes menti pra te proteger
Você me fez fugir quando o melhor era mesmo correr
Eu fazia vc sorrir na hora exata de chorar
Você me ensinou a pedir quando eu insistia em mandar

Agora você tem novos amigos
Normal que um dia isso fosse acontecer
Só não me faça te odiar Não me peça para esquecer Não espere que eu seja igual a você Igual a você

Algumas vezes menti pra te fazer correr
Você me fez fugir só pra me proteger
Eu fazia você sorrir quando insistia em mandar
Você me ensinou a pedir na hora exata de chorar"


Depois de algum tempo, consegui pensar Nenhum novamente. Mas ainda não dá pra ouvir. Enfim: "Don't worry about a thing, cause every little thing, is gonna be all right."

A nossa capacidade de criar é a mesma de destruir.


Update:

"Conheci o bem e o mal, o pecado e a virtude, o certo e o errado; Julguei e fui julgada; Passei pelo nascimento e pela morte, pela alegria e pelo sofrimento, pelo céu e pelo inferno; E no final eu reconheci que estou em tudo e que tudo vive em mim."

Realmente quem um dia gosta, desgosta; quem constroi, destroi; Mas nossa esperança, nosso sentimento, parceiro fiel, não se abala! A vida é feita de ilusões e desilusões, rimos e choramos, mas no final, no final... Tudo dá certo e criamos a expectativa de um amanhã melhor, com muito amor!
Nesse post, vc me surpreendeu! Após um palhaço triste e desiludido, veio uma foto com um sorriso irradiante! Te adoro! Vc merece coisas melhores...
Beijosssssssssss


Thank´s Perê.

Cause every little thing gonna be all right


Don't worry about a thing,
'Cause every little thing
gonna be all right.

Saying , don't worry about a thing
'Cause every little thing
gonna be all right.

Rise up this morning
Smile with the rising sun
Three little birds
It's by my doorstep
Singing sweet songs
of melodies pure and true
Sayin',"This is my message to you",uh,uh

Saying don't worry about a thing
'Cause every little thing
gonna be all right.

Saying don't worry about a thing
'Cause every little thing
gonna be all right

Rise up this morning
Smile with the rising sun
Three little birds
It's by my doorstep
Singing sweet songs
Of melodies pure and true
Sayin', "This is my message to you" uh, uh

Singing don't worry about a thing,
worry about a thing, oh!
Every little thing gonna be all right.
Don't worry!
Singing don't worry about a thing"
I won't worry!
'Cause every little thing gonna be all right.

Singing don't worry about a thing,
'Cause every little thing gonna be all right
I won't worry!
Singing don't worry about a thing,
'Cause every little thing gonna be all right.
Singing don't worry about a thing, oh no!
'Cause every little thing gonna be all right!


Tudo vai acabar bem no final....ah sim.....vai!

sábado, 12 de julho de 2008

Chegarás um momento na vida, que será você, contra você mesmo. Tuas mentiras não existem mais, tua mente é livre e tudo o que você diga cairá por terra. As tuas verdades, convicções, pensamentos não farão sentido. Teus amigos já não mais existirão. Lhe pergunto: O que você irá fazer?

Imagem de Korys Diner


Um dia

Um dia descobrimos...
Que beijar uma pessoa para esquecer outra, é bobagem. Você não só não esquece a outra pessoa como pensa muito mais nela....
Que se apaixonar é inevitável...
E percebemos que as melhores provas de amor são as mais simples...
Que o comum não nos atrai...
Percebemos que as mulheres tem extinto "caçador" e fazem qualquer homem sofrer...
Que a pessoa que nunca te liga é a que mais pensa em você...
Um dia saberemos a importância da frase:
"Tu se tornas eternamente responsável por aquilo que cativas..."
Percebemos que somos muito importante para alguém, mas não damos valor a isso...
Um dia percebemos como aquele amigo faz falta, mas ai já é tarde demais...

Enfim...
Um dia descobrimos que apesar de viver quase 1 século, esse tempo todo não é suficiente para realizarmos todos os nossos sonhos, para beijarmos todas as bocas que nos atraem, para dizermos tudo o que tem que ser dito...

O jeito é:
Ou nos conformamos com a falta de algumas coisas na nossa vida, ou lutamos para realizar todas as nossas loucuras...

Quem não compreende um olhar, tampouco compreenderá uma longa explicação.

(Mário Quintana)

sexta-feira, 11 de julho de 2008

Raiva em rima

Eu deveria, então, escrever poesia. Uma poesia, uma só que fosse, para usar todas as rimas possíveis no menor espaço conquistado. Deixar que essa raiva toda fosse, depois de muito bem mastigada, digerida e que resultasse em arte. Eu deveria acender um cigarro atrás do outro conforme minha intensa vontade e fumar madrugada adentro, escrevendo sem parar, poesia. Lembrar de cada frase sua e mudar o final, fazendo rima pós rima, assim sem parar, até que toda essa raiva já nao fosse mais raiva. Mas não sei. Eu não sei fazer isso (ao menos ainda não) e talvez nem conseguisse, porque não sei se o amor, depois de transformado em raiva, pode vir a se tornar rima. E é mágoa. É essa sensação de inocência indesejada que me consome, que faz a minha lembrança dolorida, que me invade e me domina, que te afasta do meu bem-querer bruscamente. Então você mente. E eu faço rima.

Não quero te odiar, por mais que me tenha dado motivos para isso. Quero pensar em você e sorrir, quem sabe chegar até a rir, mas por enquanto não há como. Então escrevo. Eu escrevo no intuito de botar para fora o que nem cabe mesmo mais em mim, enquanto você dorme e tem um sono leve, assim calmo, como a leveza e a calmaria de uma vida sem culpa. Hipocrisia - que rima com fantasia, veja só! Foi a tentativa. Não deu, porque a única rima que encontro agora para o amor, é… Raiva.


"Amor, então, também acaba?
Não, que eu saiba.
O que sei é que ele se torna matéria-prima
Que a vida se encarrega de transformar em raiva
- ou em rima."

(Paulo Leminski)

quinta-feira, 10 de julho de 2008

Museu Noturno



Poesia da Poesia


O que fazer agora
Com meus poemas?
Se ficam guardados
Morrendo bem lento
Lendo a vontade
Que até já cedeu.

O que fazer agora?
Com minha imaginação
Que tão desprovida
De uma grande platéia
Perde-se ao pouco.

O que fazer agora?
Sem imaginação
Pra novos poemas
Sem imaginação
Os velhos poemas
Que aqui revelou
O verdadeiro eu
Tão pessimista...

O que fazer agora?
Com a imaginação,
Com meu poema
O velho e o novo
Com o velho pessimismo
E o novo otimismo
Presente de novo.

(23/03/2008)

Sinto falta das visitas, dos comentários...
Sinto falta de tudo aquilo que ainda não vi...

Não estou bem, fato. Vivo com a esperança...que nesse momento procura alguma brecha pra se firmar, mas a realidade é outra totalmente diferente. Me tornei uma pessoa mas compreensiva, tranquila, calma, reflexiva, mas eu não merecia isso, isso eu tenho certeza, não merecia mesmo...
...o que restou pra mim agora?

Obrigado a Sinhá, Rara, Raro, Doug, Zac e Perê, por tornar meu msn mais agradável.

Ghost Opera

Uma chama dentro de meu coração morreu
Esta é uma canção, uma canção sem reprise
Hoje extamente não sei por quê
O que nós tivemos e o que nós compartilhamos, tão divino,

Amanhecer no pequeno universo, mas hoje à noite eu sinto frio
As luzes do norte estão brilhando, e meus sonhos alçam vôo

Você pode se lembrar? Diga-me o quão distante eu tenho que ir
Você pode se lembrar? Da luxúria nos céus orientais
Você pode se lembrar quando você me disse "Agora é diferente"?
Você pode se lembrar de mim? Porque eu nunca direi adeus

Uma chama dentro de meu coração morreu
Muito distante, para mim está muito distante para dizer
Eu desejaria poder retroceder no tempo
Lá há alguém para culpar? Mostre-me o caminho

Amanhecer aonde gostaria, mas hoje à noite eu sinto frio
As luzes do norte estão brilhando, e meus sonhos alçam vôo
Recordações são para sempre, e eu vejo sua face
Chorando ao longe, até cair em graça...


Gosta de Ópera? Gosta de Rock? Gosta de boa música?

KAMELOT - http://rapidshare.com/files/41630417/KAMELOT-Ghost_Opera.rar

Baixem.

terça-feira, 8 de julho de 2008

Bicho de Sete Cabeças



"Não dá pé
Não tem pé, nem cabeça
Não tem ninguém que mereça
Não tem coração que esqueça
Não tem jeito mesmo
Não tem dó no peito
Não tem nem talvez ter feito
O que você me fez desapareça
Cresça e desapareça...

Não tem dó no peito
Não tem jeito
Não tem ninguém que mereça
Não tem coração que esqueça
Não tem pé, não tem cabeça
Não dá pé, não é direito
Não foi nada
Eu não fiz nada disso
E você fez
Um Bicho de Sete Cabeças...

Não dá pé
Não tem pé, nem cabeça
Não tem ninguém que mereça (Não tem ninguém que mereça)
Não tem coração que esqueça (Não tem pé, não tem cabeça)
Não tem jeito mesmo
Não tem dó no peito (Não dá pé, não é direito)
Não tem nem talvez ter feito (Não foi nada, eu não fiz nada disso)
O que você me fez desapareça (E você fez um)
Cresça e desapareça... (Bicho de Sete Cabeças)

Bicho de Sete Cabeças!
Bicho de Sete Cabeças!
Bicho de Sete Cabeças!"


Não há coração que mereça...

segunda-feira, 7 de julho de 2008


Sem mais.

Filosofices!!

Há um filósofo francês muito interessante chamado Henri Bergson, que escreveu bastante sobre o tempo. Este filósofo considerava o conhecimento científico limitado. Para entender o mundo, segundo ele, o indivíduo deve utilizar não só o conhecimento científico, mas também o conhecimento filosófico e acreditar em sua intuição, e não só na sua inteligência. Um dos conceitos mais interessantes em Bergson é o de que o presente não existe. Nada está acontecendo agora, porque não existe agora. O que existe são dois tipos de "passado": um imediato e outro mais remoto. A sua infância, por exemplo, está no passado remoto (já passou faz muito tempo). O final de semana passado, de certo modo, também está no passado remoto, pois já passou faz alguns dias. A hora que você ligou seu computador também, e você consegue se lembrar quando isso aconteceu. Seguindo este raciocínio, enquanto estou digitando este texto, assim que pressiono uma tecla, este ato meu está no passado logo após eu o praticar. Ou seja, tente imaginar e se concentrar no presente. Conseguiu? Não, pois quando você tenta imaginar o momento "agora", ele já passou. É simples, mas intrigante. Poderiamos encarar esse fato também como História do Passado-recente...

O que eu quis dizer com esse texto, você se pergunta. Nada muito especifico ou claro, somente que tudo o que vivemos é passado, se já passou, pra que nos preocupar???

O.o

Como diz nossos filósofos do amanhã:


"Retrovisor é passado
É de vez em quando... do meu lado
Nunca é na frente
É o segundo mais tarde... próximo... seguinte
É o que passou e muitas vezes ninguém viu
Retrovisor nos mostra o que ficou; o que partiu
O que agora só ficou no pensamento
Retrovisor é mesmice em dia de trânsito lento
Retrovisor mostra meus olhos com lembranças mal resolvidas
Mostra as ruas que escolhi... calçadas e avenidas
Deixa explícito que se vou pra frente
Coisas ficam para trás
A gente só nunca sabe... que coisas são essas!!"

[Amém - TM]

domingo, 6 de julho de 2008


Eu duvido que em mim haja melhor vértebra que as muitas colecionadas em teu nome, eu sou um esqueleto de princípios, e esse me faz andar seguro no horizonte do nosso destino.

Não há melhor estrutura, volto a lhe dizer, não há! Mas também tenho que admitir o quanto me envergo uma vez lhe tendo dentro de mim. Quando assim estou, guardo o medo de parecer ridículo diante dos outros aprumados, dos outros preparados para ver a Verdade de frente.

Tenho também inveja dessa gente ao meu redor que sinceras são. Homens e mulheres, numa contagem escassa, mas de uma significância infinita, uma vez em suas simplicidades me deixam apavorado, eu achando que meu governo pessoal não hasteou certo o mastro em nome da bandeira, e agora me recolho por baixo dos panos dela, tentando se proteger numa sensação de idolatria à causa da sinceridade, ao invés de fazer o certo e abrir o peito na reverenciação à virtude.

Guardo sim, todo o peso do mundo por não ser sincero o quanto gostaria, talvez porque eu esteja envergado demais e seja fácil pedir licenças para se esconder, eu não teria outra forma de explicar, afinal não é para todo mundo a beleza de se pagar o preço de estar diante de tudo.

Minhas palavras vão até você Sinceridade, mas eu mesmo sei que não é suficiente ser sincero contigo, vão até você no entanto, querendo ser enviadas de verdade a mim, talvez eu tenha medo de abrir a minha caixa de e-mail como já tenho em avançar com cada palavra, e eis cada uma delas aqui, endereçadas a ti como primeiras mãos antes das minhas, como uma mãe que recebe uma carta sobre o filho, e na verdade se sente carregando a mensagem agora na voz que realmente pode ser escutada.

Eu sou assim, poético comigo, penso que se tratar as palavras com algum capricho estilístico vou torná-las mais audíveis ao meu senso de realidade, mesmo parecendo tão doida a idéia, pois seria também honesto e eficiente ser direto e prático, ainda assim, com toda minha inclinação em direção ao cheiros mais baixos, prefiro a poesia ao ler os fatos.

Eu estou errado Sinceridade? Responda-me! Eu estou errado?

Vamos combinar que as palavras foram enviadas, que é tua vez agora de trazer em sua boca a mensagem que lhe enviei, pode ser dito a mim com poesia ou sem ela, mas eu preferiria com, diga-me sem medo de me assustar, pois sei que a coluna dentro de mim é fraca porém real, ela saberá segurar os pontos mais pesados dentro do meu nome e significado.

Eu vou ficar esperando, selado com endereços firmes, carregarei essa carta por muitos metros e quilômetros dentro do horizonte nosso, um dia abro minhas mãos, e a tiro do peito protegido, colocarei numa caixa de correio, achando que daqui por diante andará com as vértebras que eu não consigo carregar a coragem em tudo que se diz de mim.

E eu sigo sempre assim, na constante luta do bem contra o mal, eu contra você. Meu conhecido abismo do que é certo, moral, ético e daquilo que eu gostaria de fazer de fato. Nas minhas palavras eu perco os sentimentos que transbordam e se ocultam a cada dia que passa. Eu perco o sol, a lua, o mar... perco aquilo que me resta... mas que por ser resto, não merece tanta atenção assim....

Em busca daquilo que é meu por direito.

"Morrendo comigo na mão" [TM]

Ps -
Querida Rara, não se esqueça que viver intensamente, completamente, é sempre a melhor saída. Por mais que te provem ao contrário, não encare a dúvida como um projeto ou ideal... seja sempre inteiro, nunca metade...!


"O que é mais sagrado na vida é viver
Livremente, intensamente, sem medos
O que é mais sagrado na vida é viver
Plenamente, honestamente, viver..."

[Catedral - Atemporal]

Faltam 13 dias pra ver meus raros...!

Alegria.


Alegria é estar a seu lado.
Curtir cada momento,
Com toda a força
Do meu pensamento
Buscar a sua imagem,
No fundo do meu coração.
Fazer a intensa viagem
Da loucura da paixão.

Alegria é acordar do seu lado
E ver que não é um sonho.
Hoje faz parte do passado
Aquele cara tristonho.

Alegria é viver contigo,
Ser teu amor, seu amigo.
Dividir com você tudo,
Minha vida, meu mundo.

Alegria é saber
Que por você é a poesia
E ao lê-las, seu sorriso...
Pronto! Ganhei o meu dia!
Você, tudo o que eu preciso,
Minha eterna alegria...

Sabe quem é você?
FELICIDADE...

[06/07/08]


Felicidade . f (lat felicitate) 1 Estado de quem é feliz. 2 Ventura. 3. Bem-estar, contentamento. 4 Bom resultado. bom êxito. Bem-aventurança.

Logo....é passageiro. Mas foi bom ter tido contato com você novamente.


09:59 h - Update: Já passou...

sexta-feira, 4 de julho de 2008

"Se lembrar não é celebrar, esquecer não é perdoar."

Com o tempo aprendemos...

a não perguntar...
a não falar...
a não procurar...
a não pensar...
a não querer...
a não lembrar...
a não ligar...
a não gostar...
a não amar...
a não sorrir...
a não pedir...
a não sofrer...
a não ver...
a não chorar...

e aí morremos!
o problema é quando ainda respiramos...

[04/07/08]


"Só enquanto eu respirar, vou, ah se vou, me lembrar de você..."


"Diego, Quezia, Douglas, Thiago, Brunos, Layla, Danis, Vini, Zé... Se tudo q eu preciso se parece, pq é q não se junta tudo numa coisa só?" [By Menina Rara]

quarta-feira, 2 de julho de 2008

Eu não sou Chico, mas quero tentar.

Update: Post de hoje [03/07] aqui.


O interior, interiorizado.


Fecho os olhos
Olho dentro de mim
Imensidão tão sem fim

Lá encontro o que preciso
O melhor abraço
Um iluminado sorriso
Coisas que tenho
E não me desfaço

Viajo em instantes
Tenho um rumo marcado
Felicidade....sabe o que é?
Não vou mais chorar
Pelo que está acabado

Sigo em paz, e agradeço
Olhando dentro de mim
o que aconteceu de ruim
um dia, eu juro que esqueço...

[02/07/08]

Como se sentiriam poderosas todas aquelas que destruiram as esperanças de futuro bom. (existe futuro bom planejado?) É na solidão que o poeta se embriaga se si mesmo, e que perigoso é revelar-se... que absurdo... que estranho... saber que somos limitados, torpes, parvos, idiotas (porque não?) por causa do amor. São Vinicius de Moraes de Ipanema ou de Copa, não importa, proteja-nos, de nós mesmos e do que não sabemos ainda nos defender: das mulheres!!! Santo vício pagão....

terça-feira, 1 de julho de 2008

O que você faria?


A Morte

30 Second´s to mars

E se eu quisesse terminar?
Rir de tudo na sua cara
O que você faria?

E se eu desmoronar
Se não pudesse mais aguentar
O que você faria?

.....

E se eu quisesse lutar
Pelo resto da vida implorar
O que você faria?

Você diz que queria mais
O que você está esperando?
Eu não estou fugindo de você

.....

Olhe nos meus olhos
E diga que você não quer mais
Você consegue?
Você está me matando, me matando!
Tudo que eu queria era você

Eu tentei ser outra pessoa
Mas nada parecia mudar
Sei agora este é quem eu realmente sou por dentro
Finalmente me encontrei
Lutando por uma chance
Sei agora este, é quem eu realmente sou

....

Olhe nos meus olhos
E diga que você não quer mais
Você consegue?
Você está me matando, me matando!
Tudo que eu queria era você...


.........

"Vai dizer que nossas preces não alcançaram o céu
Coração que inda vem me perguntar o que aconteceu
Conta se seu rosto por acaso ainda tem o gosto meu?

Com duas conchas nas mãos, vem vestida de ouro e poeira
Falando de um jeito maneira
Da lua, da estrela e de um certo mal
Que agora acompanha teu dia e pra minha poesia é o ponto final
É o ponto em que recomeço, recanto e despeço da magia que balança o mundo
Bailarina, soldado de chumbo
Bailarina, soldado de chumbo
Beijo e dor
Bailarina, soldado de chumbo
Nossa casinha pequena parece vazia sem o teu balé
Sem teu café requentado soldado de chumbo não fica de pé

Nossa casinha vazia parece pequena sem o teu balé

Sem teu café requentado soldado de chumbo não fica de pé
"



Only walking...

domingo, 29 de junho de 2008

Os Teus Insetos Interiores


Notas de um observador:

Existem milhões de insetos almáticos.
Alguns rastejam, outros poucos correm.
A maioria prefere não se mexer.
Grandes e pequenos.
Redondos e triangulares,
de qualquer forma são todos quadrados.
Ovários, oriundos de variadas raízes radicais.
Ramificações da célula rainha.
Desprovidos de asas,
não voam nem nadam.
Possuem vida, mas não sabem.
Duvidam do corpo,
queimam seus filmes e suas floras.
Para eles, tudo é capaz de ser impossível.

Seus sintomas?
Um calor gélido e ansiado na boca do estômago.
Uma sensação de: o que é mesmo que se passa?
Um certo estado de humilhação conformada o que parece bem vindo e quisto.
É mais fácil aturar a tristeza generalizada
Que romper com as correntes de preguiça e mal dizer.
Silenciam-se no holocausto da subserviência
O organismo não se anima mais.
E assim, animais ou menos assim,
Descompromissados com o próprio rumo.
Desprovidos de caráter e coragem,
Desatentos ao próprio tesouro...caem.
Desacordam todos os dias,
Não mensuram suas perdas e imposturas.
Não almejam, não alma, já não mais amor.

Assim são os insetos interiores...


Nesse quarto tão sozinho, o tempo não faz mais sentido.

sexta-feira, 27 de junho de 2008

Anjo Negro


Anjos negros descem do céu
Trazendo novas deste meu amor,
Vêm trajados de solidão.
Empunham numa mão o meu nome
E na outra uma faca embotada
De tantas vezes se cravar em mim.

Pairam sobre a tua casa,
Clamando o teu nome sem parar,
Vêm trajados de dor.
Numa face trazem o meu olhar
E na outra a memória do teu beijo seco
De tantas vezes me ressuscitar.

Morrem na tua calçada
Decorando os teus passos de negro,
Vêm trajados de mim.
Numa mão ofereço-te o meu amor
E na outra guardo esta cruel felicidade
Que chora de tantas vezes me fugir.


[27/06/08]


Espero que você venham....gente. De fato eu espero. Vai ser especial.

"...morrendo comigo na mão..."

quinta-feira, 26 de junho de 2008

"A minha barba, estava desse tamanho"

"Eu não caibo mais nas roupas que eu cabia
Eu não encho mais a casa de alegria
Os anos se passaram enquanto eu dormia
E quem eu queria bem me esquecia

Será que eu falei o que ninguém ouvia?
Será que eu escutei o que ninguém dizia?
Eu não vou me adaptar, me adaptar

Eu não tenho mais a cara que eu tinha
No espelho essa cara já não é minha
É que quando eu me toquei achei tão estranho
A minha barba estava deste tamanho

Será que eu falei o que ninguém dizia?
Será que eu escutei o que ninguém ouvia?
Eu não vou me adaptar, me adaptar"



Ps¹ - Foto a 5 minutos.
Ps² - Conversei com minha segunda mãe hoje. Foi bom. Ver quem tá comigo. Agradecerei sempre por isso, apesar de ela nunca ler isso aqui.
Ps³ - Agradecimento especial a Rara e a Sinhá. Obrigado sempre pela força.

quarta-feira, 25 de junho de 2008

"A mente domina a matéria"


Devaneio da mente Humana.

- A mente domina a matéria

- Caramba, essa foi fácil - disse ela

- Fácil pra você...eu diria.

- Estou tentando...insistiu ele.

- E será mais difícil ainda amanhã - continuou ele - Fiquei com o teu cheiro na minha cabeça o dia todo e vou ficar incrivelmente dessensibilizado. Se ficar longe de você por qualquer período de tempo, terei que começar de novo. Não do Zero, imagino!

-Então não vá embora - Disse ela.

- Isso é bom pra mim - respondeu ele, o rosto relaxado num suave sorriso - COLOQUE OS GRILHÕES...Sou seu prisioneiro. - Mas suas mãos formavam uma algema nas maos dela. E ele sorriu como nunca o fizera antes.

- Você parece mais....otimista que de costume - Ela observou - Não o vi assim antes.

- Não é para ser assim? - Ele retrucou - A glória do verdadeiro amor, essas coisas. É inacreditável, não é, a diferença entre ler sobre uma coisa, vê-la em fotos e experimentá-la?

- Muito diferente. - ela concordou. - Mais poderoso do que imaginei. Concluiu.

- Por exemplo a distância - Ele refletiu - Eu luto todas as noites ao ver você dormir, com o abismo entre o que eu sabia que era o certo, moral, ético, e o que eu queria de fato. Sabia que se se eu me afastar ou for afastado, ou ir embora por alguns anos, como talvez seria o certo, eu diria sim a outra pessoa. - As palavras saiam de sua boca como sangue, que como a dor, brotavam sem explicação, vontade ou sentido. Ele simplesmente se expressou...


"O poeta pena quando cai o pano
E o pano cai
Acordes em oferta, cordel em promoção
A Prosa presa em papel de bala
Música rara em liquidação"


Que o resto seja melhor que o início.

segunda-feira, 23 de junho de 2008


Chorando Estrelas


Como eu gostaria de ser como as estrelas.
Cientes daquilo que são, do seu lugar no espaço.
Pacientes ao ponto de permanecerem brilhando,
Enquanto o dia não acaba.
Certeza de brilhar cada vez mais forte.
Iluminando os passos de quem se apaga.
Se apega.
Como seria se fosse eu uma estrela, que insistentemente
Brilha...
Quando a sua volta se enxerga a escuridão.
Não
Eu não uma estrela
Sou apenas eu
Um fúlgido brilhar na imensidão do que chamamos de vida.
Vida que constrói
Que destrói
Vida de fora pra dentro
De dentro pra fora
De corpo e alma
De vida em punho.

[Maio/2008]


Diálogos de Msn.

Aproveite cada momento.... não fique desanimado. Escuta o conselho desse velho de coração calejado e cheio de buracos.
Não desperdice esses momentos por nada, por nada, por nada nesse mundo.
A ame com toda a tua força, em todos os momentos, em todos os instantes da vida. Olhe pra agora e faça cada momento valer a pena, com sorrisos, sem desapontamentos, não só com ela, mais com você. Dê a ela todo o teu amor, carinho, atenção. A faça sentir especial, única...
Não venha para a realidade, para o mundo real.
Não o faça mais.
Ele é feio, injusto e dói viver nele. Então meu grande amigo, com muitas lágrimas nos olhos te digo que viva intensamente tudo isso. Confie nela, confie na tua capacidade de cativar as pessoas. Confie na tua capacidade de amar...


Welcome again, vontade de escrever novamente. Alguns comentários no blog me levaram a essa conclusão. Comentários fortalecem a alma e o punho (rs)!

Para quem sabe ler, meia palavra basta.


Resposta a tua altura.

Não penses que me esqueci de ti
Agora é cada um por si,
Sou eu, o Sai-me Daqui,
O carrasco que vai dar cabo de ti!

Julgas-te grande,
Bem maior do que eu,
Mas quando olhas para cima
O corpo a tapar o sol é meu!

Tás muito abaixo,
Sou eu que te assombro
Por mais sopa que comas
Nunca passas do meu ombro

Meu Inimigo esperado,
Ainda bem que apareceste
Sem ti eu estava arrumado,
Mesmo sem ter bem começado.


Caro Seabra, tua presença em uma noite "bohemia" será muito apreciada.

domingo, 22 de junho de 2008

A Primeira Semana

"Antes que o tempo, a Clave
De Fá Do Si La Sois
Antes da noite, uma tarde
Pra cada um de nos
Antes do barco, a chuva
Antes da roda, o frio
Antes do vinho, a uva
E a fruta que não caiu

Fez dessa Terra um cenário
Pras peças que nos pregaram
Fez bico de pena e diário
Pra escrevermos a regra e a exceção

Criou o perdão e o pecado
Criou a dor e o prazer
Criamos o certo e o errado
E o orgulho pra nos esconder
Do que prevalece em nós...

Antes que o tempo, a clave
Sustenidos e bemóis
Antes do inteiro, a metade
Uma outra parte de nós
Antes do vôo, o tombo luta pra não chorar
Antes tarde do que nunca, pra nunca mais demorar
Antes do homem o medo
Antes do medo o amor
Antes do amor a dúvida
Pois nem Deus sabe quem criou
E o que prevalece em nós

Exílios calados quimeras que exalam sós

E tudo que eu criar pra mim
Vai me abraçar de novo semana que vem

E tudo que eu criar pra mim
Vai me abraçar de novo
Vai me negar também
semana que vem

Antes que o tempo acabe..."

Agora de fato não tem quem ler daqui....últimos posts sem nenhum comentário....mas escrevo pra posteridade....pra não perder nunca mais....!

sábado, 21 de junho de 2008

Existe ser mais perfeito que um vampiro?



Momentos de outrora


A vida passa num instante agora
Fecho meus olhos, e quando abro
Já não sou o mesmo
Tudo muda constantemente
A brisa torna-se vento
E o vento torna-se brisa
A brisa da manhã
Vem em forma de maresia
Tudo muda constantemente
O amor de hoje
Fora o ódio de outrora
O perdão recebido
Fora a culpa de alguém
O reencontro
Fora a despedida de ontem
A cicatriz fechara
Fora a ferida aberta na carne
A porta fechada
Outrora já esteve entreaberta
Esperando por ela passar
Mas você recuou
E hoje, um vazio restou
A vida muda num instante
Tudo passa como um turbilhão
Meu coração que outrora fora alegria
Hoje se encontra na solidão.

[21/06/08]


Voltando ao sono.

sexta-feira, 20 de junho de 2008


Sozinho


Se amargurava
com o punhal
que ele próprio cravou
em seu peito,

chorava,
bebia,
chorava,

e desejava
não mais sonhar,
não mais amar.

Queria que o seu coração,
espontaneamente, parasse
e que ali ficasse,
calmo, tranqüilo, sereno...

[20/06/08]


Minhas atualizações serão frequentes, eu acho.

Entrem aqui por favor: Puzzle

Update: Sem atualização esse fds. Vou pra longe, por aeh...

Sofrer foi o prazer que Deus me deu...

Como você sempre soube, isso aqui é a minha válvula de escape. Perdoe-me.


Estou tao triste... Nunca pensei que fosse me sentir assim... Nunca pensei que pudesse me sentir tao magoado... Meu coraçao ainda esta doendo... minha mente se recusa a acreditar...já é madrugada e eu ainda estou aqui, acordado.. Sem saber o que fazer.. Nao consigo dormir... Nao consigo pensar claramente... So quero chorar, chorar e chorar.... Nao, eu realmente nao queria sofrer... Ontem isso parecia uma coisa tao boba.... Mas hoje... hoje tudo voltou... Todas as palavras que parecem ter sido escritas pra mim... Mas nao foram...
Nao faz sentido...
Todas as besteiras que eu pensei esses dias, todas as bobagens que me fizeram chorar e me machucar muito, tudo que eu imaginei que pudesse estar acontecendo... Tudo parece ter se confirmado em algumas poucas palavras..
Meu coraçao realmente esta doendo... Eu nao queria estar escrevendo.. Mas eu preciso escrever... Eu preciso parar de sofrer com isso tudo, e normalmente, escrever me ajuda muito... Mas hoje nao esta mudando nada... Acho que nada pode me ajudar..
Sinto que estou caindo... caindo.. caindo.. e nao consigo imaginar onde acaba a queda...nem mesmo sei se ela tem um fim....

Por que?
Por que?
Por que?

Eu queria realmete acreditar que foi um pesadelo... Nao faz sentido nenhum pra mim...
Desculpe por tudo.. Sei que nao deveria estar agindo assim... Sei que disse que as coisas nao iam mudar... Mas agora sinto que vao... Nao queria isso...Odeio pensar que as coisas poderiam mudar entre a gente... Eu te amo muito... Muito mais do que você imagina... Mas nao sei se posso suportar essa dor sozinho...Mas acho que ninguem pode me ajudar agora... Sinto muito...
" Ich dich liebe ..."

quinta-feira, 19 de junho de 2008

Esperança.

"Lá bem no alto do décimo segundo andar do Ano
Vive uma louca chamada Esperança
E ela pensa que quando todas as sirenas
Todas as buzinas
Todos os reco-recos tocarem
Atira-se
E
— ó delicioso vôo!
Ela será encontrada miraculosamente incólume na calçada,
Outra vez criança...
E em torno dela indagará o povo:
— Como é teu nome, meninazinha de olhos verdes?
E ela lhes dirá
(É preciso dizer-lhes tudo de novo!)
Ela lhes dirá bem devagarinho, para que não esqueçam:
— O meu nome é ES-PE-RAN-ÇA..."


Mário Quintana
Texto extraído do livro "Nova Antologia Poética"


Melhor um mestre do que os meus textos.

quarta-feira, 18 de junho de 2008


Queria que a noite nao acabasse... nao quero começar mais um dia...
Nao estou triste ou chateado...
Tambem nao estou bem, nem estou feliz..
Estou simplesmente vivo, sem saber nem como me sentir...
Acho que posso dizer que estou normal, mesmo sabendo que essa nao é uma definiçao muito boa pra mim..
Estou com muita vontade de escrever... Nao textos, nem poesias.. nada triste e melancolico.. Nada de cartas.. Simplesmente escrever... Pra mim mesmo....
A noite parece diferente hoje... mais pertubadora do que o normal...
Mas é apenas mais uma noite na qual eu me perco em pensamentos... Embora hoje nao tenha nem no que pensar... Estou simplesmente divagando sobre o passado...
O presente é tao doloroso...
As vezes eu queria que a vida fosse melhor, as vezes eu queria que ela nao existisse mais...
Tao complicado viver quando nao se sabe ser feliz...
Tao complicado querer morrer sem saber como prosseguir...
Tao facil responder a essa pergunta...
Tao dificil conclui-la...
Queria poder fugir agora, ir pra um lugar tranquilo... onde eu pudesse escutar apenas o silencio e o cair dessa noite...e o seu amor de volta pra mim.

Queria que apenas por alguns segundos
Eu pudesse fechar meus olhos
E adormecer junto de ti e sonhar contigo os teus sonhos...
Queria que apenas por alguns segundos

Eu pudesse olhar dentro de seus olhos
Ever ali minha alma refletida
Como um espelho...
Que ao ser quebrado
destrói também o meu reflexo...


Não, não pode ser assim.

terça-feira, 17 de junho de 2008



O Alerquim roubou o amor de Pierrot,
por isso ele chora, num canto do salão.
Aquela máscara negra, que discórdia causou,
na vida de um pobre Pierrot.

O Pierrot a chorar, espera a sina de um Alerquim,
o Pierrot a chorar, espera o amor de Colombina.

O seu desejo era o coração de Alerquim ele ganhar.
Para que, a colombina, pudesse, um dia, o amar.


Apesar de saber que escrevo ao léu, pouco importa.

domingo, 15 de junho de 2008

"Woman no cry..."




A vida se vai em um instante...
quando pensamos que podemos deixá-la de lado,
vem o tempo mostrando que não há tempo,
vem a noite e passa o dia, semanas se sucedem,
e quando nos damos conta, mais um ano acabou.

E agora?
Que fazer do parque que não conhecemos?
Do filho que não vimos crescer?
do amor que deixamos morrer?
da saúde que destruímos de qualquer maneira?
Do amor que mal vimos desabrochar e morreu?

O que fazer do tempo que não temos?
Sim, porque sempre não temos tempo para viver,
sempre é um corre-corre ou uma apatia total,
fazemos ou não fazemos o que queremos,
geralmente fazemos mal feito, não aproveitamos...

Aproveite esse tempo e ame com intensidade,
ainda que o medo mande você maneirar.
Estude apenas por prazer, ainda que a matéria seja chata,
ande por contentamento, caminhe na chuva e sinta o sol,
seja intenso, vibrante, forte, cheio de certezas,
ainda que não saiba por onde ir...

E, porque a vida é um instante,
seja eterno.
O prazer é viver esse momento,
que deixarão de ser parte de um dia,
para ser inesquecível...

terça-feira, 10 de junho de 2008

Ei...
Que receio é esse?
Fique tranqüila,
aqui está segura,
aqui, teus ódios não lhe descobrirão.

Está passando?

Aqui está segura,
segure a minha mão,
e durma,
nada ira lhe incomodar enquanto dorme.

Melhorou?

E durma,
descanse.
Teus medos estão do lado de fora,
não lhe perturbarão.

Acredita?

Teus medos estão do lado de fora,
não deixarei eles entrarem,
que receio é esse?
Esqueceu que estou ao seu lado?

Feito pra ela.

Querendo acreditar que meus devaneios fazem bem a alguém.

segunda-feira, 9 de junho de 2008

video

Da Janela - Nenhum de Nós

"Da janela eu vejo a rua
Onde ela caminha todo o dia
Ela passa
E sempre acha graça quando me vê

Mas ela passa tão depressa
Que eu não tenho tempo
E nem coragem
De abrir a boca e fazer a pergunta que eu ensaiei
Ensaiei

Você ainda me ama?
Me ama
Você ainda me ama?
Me ama
Eu sei que no fundo, bem no fundinho
Você ainda me ama

Da janela eu vejo a rua
Onde ela caminha
No fim do dia
Na volta pra casa
Já está tão escuro que ela ja não mais me ve

Mas eu tenho que chamar
Eu tenho que gritar
Eu tenho que fazer ela parar
Quem sabe até fazer ela voltar
Eu tenho mesmo é que perguntar
Que perguntar"


Extremamente feliz.

sexta-feira, 6 de junho de 2008


Lembro quando você me olhava,
com aquele olhar apaixonado,
do teu lábio vinha um sorriso tímido,
o qual, eu respondia com um beijo.

Seu amor era somente meu,
e o meu, somente teu.

Como era bom a época em que acreditávamos em algo.
Como era bom a época em que acreditávamos no amor.

Ela volta?


Devaneiado em um momento de falta de fé.

quarta-feira, 4 de junho de 2008

Cariño...


E agora eu continuo, meses depois... novas idéias, novas falas, mas a mesma menina...
Tão nova quanto tudo o que eu vejo acontecer por aqui. Tão cheia de sonhos quanto meus sonhos me ensinaram que deveria ser.
Eu tenho medo de uma só coisa. Eu tenho remorso de duas. Eu quero recuperar minha menina que está se perdendo por esses encontros casuais. Eu quero manter você dentro de mim por mais que insista em ir embora. Triste até a última lágrima que deve ser chorada. Feliz até o fim do sorriso que quer ser sorrido. Infeliz parte do tempo. Com vontade de gritar até me livrar de toda dúvida que não sei porque está aqui, porque insiste em me acompanhar no caminho que eu quis viver. Que eu ainda quero. O meu caminho.

Então seca minhas lágrimas, me coloca nos seus braços, se devolva à mim!
Tira de dentro a saudade que agride, a tristeza que me oferece o cigarro que não cabe mais.
Volta a dizer as suas implicâncias.
Volta a falar.
Ressucita.
Não me deixe aqui tentando te encontrar.
Me leva com você, me busca aqui.
O sentimento é lindo, puro e verdadeiro.
Esse sou eu.
Essa é você.
No pensamento sempre.


"Como arroz e feijão, é feita de grão em grão nossa felicidade."

terça-feira, 3 de junho de 2008

Viver completamente é o que há!














Falar sobre sentimentos é complicado, porque na maioria das vezes ninguém consegue entendê-los a não ser quem os sente. Por mais que você narre um momento, destaque os detalhes e faça isso com destreza, não conseguirá expressar exatamente o que você sentiu naquele instante. É essa a magia, é na simplicidade da compreensão singular que encontramos o encanto.

Sabemos que a vida - e falo de sua parte boa - se faz de pequenas coisas inexplicáveis. Pequenas, sim. Aquelas coisas que quase sempre são imperceptíveis ao olhar alheio mas que passam a te habitar e não importa quanto tempo fique para trás, você ainda poderá sentir um toque, um cheiro, um gosto. Você não consegue explicar, mas sente. E se sente, explicar para quê?!

Então basta um segundo antes de um beijo ou de uma carícia, para que o momento se eternize. Você irá beijar outras vezes, acariciar e ser acariciado, mas nada sequer chegará perto de se tornar tão marcante quanto aquele segundo antes do ato. Aquele "mero" segundo que precedeu horas se torna um marco. E você se lembrará sempre dele, por dias, por anos, por uma vida. Talvez por mais de uma.

A única coisa capaz de levar à compreensão é a intimidade. Você não precisa nada dizer, gesticular ou insinuar, você se faz entender. Acontece através de um encontro entre olhares e… Apenas acontece. É natural, chega a parecer místico, mas é algo simplesmente natural. É do íntimo que nasce a entrega, a comunicação em silêncio, a única que pode ser extensamente compreendida - e se um sentimento só pode ser entendido por quem o sente, é na intimidade que o outro encontra espaço para fazê-lo.

Sem que você perceba, tudo passa a fazer sentido. Não é preciso filosofar, indagar, analisar. De uma hora para outra você descobre que perdeu tempo demais tentando decifrar os mistérios, procurando um porquê que nunca teve necessidade de ser. De repente tudo fica claro (e colorido), então você não se importa mais com os motivos, quer apenas sentir - sim, tudo passa a fazer sentido.

As pessoas se manifestarão, mas nada do que dizem parece te atingir dali em diante. Onde quer que você esteja, estará no caminho certo, independente do que os outros irão falar, opinar, teorizar. Viver se tornou mais importante do que ouvir.

O mundo passa a ser seu e vem aquela vontade voraz de abraçá-lo, tomá-lo em seus braços sem se importar com o que passou, porque agora você compreende. E se alguém te diz que é impossível abraçar o mundo, você responde: - Impossível é te fazer entender, porque você não sente.


Primeira parceria : Planeta Insano

Enjoy your life ever.

segunda-feira, 2 de junho de 2008

Senhor do Tempo.

Se eu fosse Senhor do Tempo, as horas não passariam tão devagar como estão passando agora, nem passariam tão depressa como aconteceu antes. Elas teriam sua certa duração, de acordo com a minha vontade. Poderiam até mesmo parar no instante em que eu desejasse, sob a influência de um estalar de dedos, dos meus dedos, esses mesmos que escrevem agora para eternizar aquilo que, de outra forma, ficaria apenas na lembrança. Se eu fosse Senhor do Tempo, o passado não seria fixo, não seria imutável e talvez sequer fosse passado. Eu poderia conjugar os verbos no tempo que eu bem quisesse (afinal, eu seria seu Senhor) e não precisaria esperar por um futuro que quero viver agora. Não, eu não precisaria nem mesmo esperar. Se eu fosse Senhor do Tempo, aquele momento se repetiria por muitas, muitas e muitas outras vezes. Eu o prolongaria, brincaria com ele como uma criança, sem pressa, sem compromisso.

Depois de reviver as sensações, cada uma delas, por quantas vezes eu sentisse vontade, eu colocaria o tempo em suas mãos. Seus dedos estariam sobre o relógio e você poderia brincar de ser Deus. Te faria a Senhora do Tempo. Então, o que você faria? Teria coragem o suficiente para apressar as coisas, pular etapas, dar um salto maior do que é capaz agora? Ou moveria os ponteiros ao contrário, para assim poder fazer tudo de forma diferente? Enfim… Se eu fosse Senhor do Tempo, não estaria fazendo tais perguntas. Eu teria todas as respostas sem precisar perguntar.

Mas o tempo é real e é cruel, ele finge não passar nunca ou passa rápido demais e esses movimentos nunca estão de acordo com a nossa vontade. Nem com a minha, nem com a sua. Então, enquanto fico aqui pensando no Tempo como se seu Senhor eu fosse, ele insiste em provar que me bastaria ser Senhor de Mim...


Obra prima.

Em grau de perfeição, me lembra a Última Missiva, algo sonhado em 2005 que se perdeu com o tempo...